ESCOLA SUL > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > O FUTURO DA FORMAÇÃO DIANTE DA CONJUNTURA PAUTOU OS DEBATES DO 38. COLETIVO REGIONAL SUL

O futuro da formação diante da conjuntura pautou os debates do 38. Coletivo Regional Sul

24/06/2017

Confira aqui a carta de recomendações que o Coletivo faz à CUT nesse momento histórico de profundos desafios em todos os níveis, dentro e fora da Central, voltados para a organização e a mobilização.

Escrito por:

 

O FUTURO DA FORMAÇÃO DIANTE DA CONJUNTURA

O 38º Coletivo Regional Sul de Formação e o FFC, reunido na Escola Sul durante os dias 22 e 23 de junho de 2017, após intensas reflexões diálogos, trocas e construções, traz para o conjunto da Central Única dos Trabalhadores as seguintes recomendações:

- É inerente ao papel da formação estar com um pé no chão e um olhar nas estrelas. Aliar as ações imediatas à construção do projeto histórico da Central, de construção do socialismo. Tratar do pragmatismo da agenda sindical sem perder de vista a questão ideológica e da transformação dos corações e mentes dos/as trabalhadores/as do campo e da cidade. Nesse sentido é fundamental ampliar o Plano e valorizar os instrumentos de disputa de hegemonia da classe trabalhadora no campo da comunicação e da cultura, entre outros.

- Diante da realidade desafiadora que vivemos, nossa Central propõe potencializar a formação para construir a esperança na base social da CUT e construir um projeto de transformação social, envolvendo com mais profundidade os movimentos sociais, dialogar com setores da academia e amplos setores da sociedade. Nesse campo fazer o enfrentamento à cultura do ódio, abordando os preconceitos e discriminações de gênero/diversidade sexual, raça/etnia.

- Essa grande frente de formação e o fortalecimento do trabalho em rede, aqui na nossa região, precisa estar voltado para repensar os modelos de desenvolvimento em curso nos três estados do Sul. Cabe à CUT, nos seus espaços de formação criar espaços de reflexão e de proposição de políticas que apontem para um projeto de desenvolvimento que dialogue com a disputa de modelo econômico, cultural, social, político, ambiental e ideológico, fortalecendo sua rede com as diferentes frentes de formação propostas nos Planos.

- Esse projeto de desenvolvimento balizado nos grandes desafios da formação de contribuir para a organização, a mobilização e a luta, que se reflita no enfrentamento ao modelo de Estado em curso (de ataques de direitos e às políticas públicas sociais) e na reformulação de estratégia política organizativa da CUT que contribua a passos largos no fortalecimento e valorização do projeto histórico da Central, seus objetivos, bandeiras e princípios. Evidenciando a importância dos cursos DPPDHAR e do NCC.

- Nesse sentido, é preciso que o Plano de Formação Regional seja fruto de um diálogo permanente com a estratégia nacional e os planos estaduais, valorizando os saberes e lutas da nossa região, do reiventar, do ressignificar, da experimentação e da criatividade, com a Formação de Formadores/as Continuada e os espaços dos Coletivos, em diálogo com a constante renovação da rede através do FFI.

- A Escola Sul como cabeça de rede da região cabe ser a mediadora, procurando manter a identidade do processo formativo em termos de conteúdos e metodologias, contribuindo nos planejamentos e no suporte pedagógico.

- Cabe às SEFs fortalecer o projeto de formação estadual, se tornando referência na condução do processo, de modo a agregar os sindicatos e os ramos numa rede de formação, buscando ampliar os planejamentos, especialmente com as CUTs regionais, priorizando os espaços ainda desorganizados e realizando um diagnóstico mais preciso da formação.

- Cabe aos ramos e sindicatos trabalhar em sintonia com a rede e desenvolver ações complementares, atuando junto à direção, à base, à sociedade, à comunidade, valorizando as especificidades, criatividade e realidade de cada ramo/sindicato.

GESTÃO SOLIDÁRIA

- É necessária a retomada da solidariedade na ação cutista, com ampliação de investimentos e recursos de contrapartida, utilizando estruturas alternativas e sindicais para hospedagem e desenvolvimento dos cursos, assim como rateio dos custos. Isso irá proporcionar a mais ampla participação das categorias de forma fraterna. Fazermos um sindicalismo educador/a.

- Essas ações, aliadas a uma equipe de dirigentes educadores/as e uma metodologia transversal, interseccional, inclusiva e de autogestão das turmas, para estimular a solidariedade e o pertencimento de classe. Pensadas como método, conteúdo, estratégia de mobilização e um ambiente educador que priorize atividades formativas com temas conjunturais, mas também a realização dos ORSBs (aprofundar temas e ser um elemento de organização nas regionais), e do Formigueiro (com ações dentro do conceito e intencionalidade) e a retomada de caravanas/mutirões de formação com a contribuição da Escola Sul.

- Realizar um encontro dos ramos, com representantes das federações e confederações na Escola Sul, para incentivar esta integração.

- Retomar a realização periódica do Seminário de Socialismo.

- Ampliar a integração na Rede de Formação com a ETHCI e suas experiências pedagógicas.

- Realizar ações de avaliação e diagnóstico da condição da formação nos Estados, com a finalidade de ter informações consistentes que permitam o aperfeiçoamento/qualificação da política regional de formação.

 - Sobre mobilização de público, utilizar ferramentas de comunicação para ampliar as divulgações, como transmissões ao vivo, artigos nos sites das CUTs sobre a formação e atividades, Facebook da Formação, entre outros. A Escola Sul deve ter autonomia e agir na divulgação, se utilizando de suas ferramentas de comunicação.

- Criar uma base de dados de representantes de movimentos sociais, acadêmicos/as, educadores/as populares e lideranças para divulgar na rede de formação.

- Otimizar o uso da plataforma da CUT para o cadastro de egressos da rede e de conselheiros.

- Construir publicações pedagógicas com a realidade da região sul.

 

De tudo ficaram três coisas... 
A certeza de que estamos começando... 
A certeza de que é preciso continuar... 
A certeza de que podemos ser interrompidos 
antes de terminar... 
Façamos da interrupção um caminho novo... 
Da queda, um passo de dança... 
Do medo, uma escada... 
Do sonho, uma ponte... 
Da procura, um encontro!

Fernando Sabino

 

Integrantes do 38º Coletivo Regional Sul de Formação e do Curso de Formação de Formadores/as Continuada

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista

#AnulaReforma

RÁDIO CUT
Rede Brasil Atual

Todos os Direitos Reservados © Escola Sul | Tel: (48) 3266.7272 – 3266.5647
Av. Luiz Boiteux Piazza, 4810 - Florianópolis – SC